Como Surgiu

O nome Instituto História Viva nasceu antes do Projeto Ouvir e Contar. Sua logo é um botão, um dos mais antigos objetos da humanidade, um verdadeiro ícone. As pessoas podem passar, mas suas histórias nunca morrem.

Junto ao projeto Contadores de Histórias, ainda não atendíamos idosos, isso me incomodava.

Era Janeiro de 2006 a convite de amigos fui passar um final de semana na Ilha do Mel. Enquanto caminhava sozinha pelas belas praias dessa paradisíaca ilha,  comecei a refletir sobre uma forma de atender aos idosos no Instituto Historia Viva. Eu pensava “mas idosos gostam de falar, de serem escutados, e hoje escutamos tão pouco as pessoas…”. Inesperadamente aconteceu algo mágico. Foi como se um grande livro se abrisse por sobre as ondas do mar, e suas páginas fossem sendo viradas e eu “lesse” os insights de como funcionaria um projeto intergeracional junto a frágeis idades.  Eu fazia perguntas mentalmente, e as respostas eram  como que escritas nesse grande livro com letras douradas…Perguntei “mas os idosos gostam de contar suas histórias e as vêem na maioria das vezes de forma apagada, apática, como levar para crianças?” … “iluminando, encantando, como toda história é”… “mas a criança ouviria a história encantada do idoso e só?”…”a vida é uma relação de troca, ela ganhou, ela pode doar”…”mas doar o quê, se está abatida por uma enfermidade grave como um câncer, cega, com limitações?”… “doar arte pois com seu olhar de pureza poderá captar a essência da história”…”e depois?”… “essas histórias encantadas junto com a arte voltaria ao idoso, dono da história, e se fecharia o ciclo das frágeis idades”…”e dessa forma dentro da visão holística, você pegaria uma “parte” do idoso e encantaria e devolveria para ele de forma iluminada,  acenderia a luz dessa parte de sua biografia, que contagiaria o todo de sua história”… Na hora fui em busca de um bloco de papel e uma caneta por pelo menos 6 restaurantes e bares da ilha, com medo de que minha memória me traisse. Claro que não encontrei nem bloco, nem caneta, mas não perdi um só detalhe desse momento único que se transformou imediatamente em um dos projetos mais premiados do Instituto Historia Viva.

 

Roseli Bassi,
fundadora do Instituto Historia Viva e
idealizadora do Projeto Historia Viva Ouvir e Contar.